Uma Casa no Castelo

Título: Uma Casa no Castelo – Intervenção Multidisciplinar  Title: A House at the Castle – Multidisciplinary Intervention
Coordenador de Edição Edited by: Luís Firmo (PT)
Selecção, Matéria Editorial e Contribuições
Selection, Editorial Matter and Contributions: Luís Firmo (PT), Isabel Baraona (PT)
Design Gráfico
Graphic Design: João Vinagre
Palavras Chave: 1. Animação Cultural; 2. Desenho; 3. Escultura; 4. Espaço Público; 5. Instalação; 6. Projecto Educativo; 7. Sítio-especificidade; 8. Vídeo; 9. Fotografia
Keywords: 1. Cultural Animation; 2. Drawing; 3. Sculpture; 4. Public Space; 5. Installation; 6. Education; 7. Site-specificity; 8. Video; 9. Photography
Línguas: Português-Inglês Languages: Portuguese-English
Número de Páginas Number of Pages: 72
Data de Publicação
Publication Date: 2008
ISBN: 978-989-95397-3-0
Dimensão: altura 21 cm x largura 16.5 cm x espessura 0.5 cm Size: 21cm (H) x  16.5 cm (W) x 0.5 cm (D)
Peso Weight: 150 gr
Preço
Price: 8€
O projecto Uma Casa no Castelo foi um primeiro espaço de experimentação e de promoção para artistas e outros criativos em final de formação ou em início de prática profissional, fora do contexto académico. Permitiu a um jovem curador seleccionar um conjunto de jovens artistas e animadores culturais para articuladamente pensarem numa intervenção que lhes permitisse apresentar os seus trabalhos e potenciar artisticamente a vivência da comunidade residente no local da intervenção. Consistiu na articulação de um momento inicial de residências para criação com um subsequente momento expositivo, e na implementação de um conjunto de actividades educativas concebidas em estreito diálogo com as obras em exposição, fazendo recurso de uma casa situada na Rua Capitão Luís Boto Pimentel (antiga Rua do Castelo), 11, em Torres Vedras.
Esta casa, aparentemente igual a tantas outras na labiríntica malha urbana do centro histórico de Torres Vedras, assumiu-se no entanto como um elemento determinante no desafio lançado aos diversos criadores que participaram neste programa, e condicionou indelevelmente todo o trabalho curatorial/artístico/criativo que resultou do encontro com este espaço, tornado si­­­mul­taneamente matéria-prima (de naturezas muito diversas: histórico-sociológica, antropológica, arquitectónica, sentimental, onírica) e espaço expositivo.
Uma Casa no Castelo foi, por estas razões, uma intervenção multidisciplinar que marcou artisticamente um espaço e uma comunidade. Foi uma iniciativa da maior relevância, dado que foi reciprocamente enriquecedora. Se por um lado permitiu a concretização de um primeiro projecto expositivo e de primeiras obras a um conjunto de jovens artistas ainda em início de carreira, permitindo-lhes beneficiar de condições profissionais de produção num contexto onde as primeiras oportunidades são tão reduzidas, por outro lado contribuiu para ensaiar a reabilitação de espaços devolutos e de zonas da cidade manifestamente carenciadas e degradadas, permitindo aos diversos intervenientes – criadores e observadores –, a surpresa da descoberta de outras possibilidades de encontro, assim como a exploração de outras formas de comunicação e de intervenção que permitem alargar a percepção do observador sobre a arte e a cidade em que habita.
Uma Casa no Castelo surgiu de um desafio lançado pela Transforma à ESAD.CR/IPL, por ocasião do Transforma_B – uma primeira plataforma para a integração das artes e da criatividade na cidade, celebrada enquanto espaço de confluências em constante devir, logo por localizar, por identificar, por preencher. A Transforma saúda e reconhece o empenho, a capacidade e a qualidade do trabalho desenvolvido pelos diversos intervenientes neste processo, os quais, com a maior pertinência, souberam maioritariamente recorrer ao medium desenho como forma de expressão central do seu fazer artístico, concebendo um conjunto de novas obras solidamente alicerçado quer na investigação proposta pelo Transforma_B quer no compromisso de um diálogo com a especificidade do lugar que os acolheu.
Luís Firmo
Director Artístico da Transforma
The project A House at the Castle worked as a first space for experimentation and promotion, outside the academic context, for artists and other creatives who are ending their graduation or beginning their careers. A young curator had the opportunity to select a group of young artists and cultural animators, so that in an articulated way they could think about a specific intervention allowing them to show their work and through art enhance the life of the surrounding community. The project articulated a first moment of creation residencies followed by an exhibition and a series of educational activities conceived in close dialogue with the exhibited works, by using a house on Capitão Luís Boto Pimentel Street (former Castle Street), 11, in Torres Vedras.
Apparently, this house is similar to others in the labyrinth urban structure of the historical centre of Torres Vedras. However, it was a determining factor to the challenge made to the different creatives who participated in this program, and it influenced all the curatorial/artistic/creative work resulting from a close interaction with this space, which simultaneously provided the substance (of different kinds: historical-sociological, anthro­pological, architectural, affective, oneiric) and the place to exhibit.
These are the reasons why A House at the Castle as a multidisciplinary intervention marked artistically a space and a community. It is an initiative of great importance, since it is mutually enriching. If, on one hand, it gives the opportunity to a group of young artists still on an early-stage to make their first work and exhibit it, allowing them to benefit from professional production conditions within a context where the first opportunities are so scarce; on the other hand it gives the opportunity to test the rehabilitation of vacant spaces and of weaken city areas clearly in need, allowing the participants – creatives and observers – to be surprised by the process of finding other ways of meeting, as well as the exploration of other ways of communication and intervention which allow to extend the perception of the observer towards art and the city where he lives.
A House at the Castle started as a challenge made by Transforma to ESAD.CR/IPL during Transforma_B – a first platform for the integration of arts and creativity in the city, celebrated as a space of confluences in a continuous state of becoming, without being located, identified, occupied. Transforma greets and acknowledges the commitment, the potential and quality of the work developed by those who participated in this process. They knew particularly how to use, in a very relevant way, the drawing as the main medium for their creation, conceiving a set of new works both solidly grounded in the research proposed by Transforma_B and in the commitment to a dialogue with the specificity of the place which hosted them.
Luís Firmo
Transforma Artistic Director
Anúncios
%d bloggers like this: